• Autor Karin Tidbeck
  • Ilustrador
  • Coleção Karin Tidbeck
  • ISBN 9789898917096
  • PVP 16,59 € (IVA incluído)
  • preço fixo até fim de novembro de 2019
  • 1ª Edição junho de 2018
  • Edição atual 1.ª
  • Páginas 256
  • Apresentação capa mole
  • Dimensões 150 x 230 x 17 mm
  • Idade

Às vezes é preciso construir algo sem ter nada de sólido por onde começar.

Vanja é uma trabalhadora ao serviço do Estado. Como todas as outras pessoas. Porque o estado somos nós. A comuna somos nós. O comité somos nós. Todas as regras, todas as imposições, todas as ordens e toda a burocracia são necessárias para garantir que o mundo não se desfaça.

O mundo corre o risco de se desfazer. Se não marcarmos cuidadosamente os nossos pertences, se cada objeto não estiver etiquetado e for lembrado regularmente do que é e do que pode ser vai acabar por se desfazer numa espécie de lodo viscoso. E, portanto, o bom comportamento é fundamental. O método também. A desobediência pode significar o fim.

Mas Vanja precisa de mais. Precisa de conhecer, precisa de entender. Precisa de saber porque é que as suas palavras são capazes de tanto, e, no entanto, utilizadas para tão pouco.

Será que a obediência e a destruição são as únicas duas hipóteses?

«Um romance distópico inesquecível. Com elementos de Kafka, Borges e Le Guin.» - The Guardian

Karin Tidbeck é originária de Estocolmo, na Suécia. Vive e trabalha em Malmö, como escritora, tradutora e professora de Escrita Criativa. Escreve ficção em inglês e sueco. A sua estreia em inglês, Jagganath, ganhou o Crawford Award e fez parte da shortlist do World Fantasy Award.

Amatka, o primeiro romance publicado em Portugal, é uma fábula política, na linha de 1984, sobre o controlo social, a rejeição da mudança e as revoluções mais inesperadas.

Saiba mais sobre a autora:
www.karintidbeck.com